Mais jovens conseguiram marcas de qualificação para os seus Europeus

 

O Meeting de São João, em Braga, não defraudou as expetativas e registou um conjunto muito interessante de resultados, para além de ter proporcionado aos espetadores (e atletas) um recinto sem obstáculos de visão (a rede foi retirada).

 

Aproveitando as excelentes condições climatéricas (especialmente o vento…), a prova de 100 metros masculina foi bem disputada, registando no final o triunfo do brasileiro Paulo Oliveira, com a marca de 10,04 segundos (+0,5), uma das melhores de sempre em Portugal, com o melhor português a ser Frederico Curvelo (Benfica), com 10,52 s (mas fez 10,48 na eliminatória – vento: +0,4 – e essa marca supera a qualificação para os Europeus sub23), à frente do colega de equipa Delvis Santos (10,58). Nas eliminatórias, Diogo Antunes (Benfica) correu em 10,58 segundos.

 

Interessante a prova de 5000 metros masculinos, com triunfo do eritreu Yemane Haileselassie (13.47,72), “rebocando” os sportinguistas Hugo Correia (14.02,85) e Fernando Serrão (14.15,10) para recordes pessoais.

 

Mais “lucrativas” as provas de 800 metros, com triunfo do junior Nuno Pereira (Sporting) com 1.50,28 (confirmando a qualificação para os Europeus sub20); e 400 metros barreiras, em que o triunfo pertenceu ao norte-americano do Sporting, Jordin Andrade (51,11).

 

Nas restantes provas masculinas, no salto em comprimento, Ivo Tavares (Benfica) saltou 7,80 metros (+0,3), batendo o "recorde" da pista (estava em 7,70, de Paulo Castelbranco, em 1999); em altura, triunfo do brasileiro Thiago Moura com 2,10m, derrotando Francisco Barreto (Benfica) que passou 2,06; nos 1500 metros, triunfou o argentino Frederico Bruno (3.42,33), derrotando o bracarense ao serviço do Sporting, Paulo Rosário, com 3.43,11, a sua melhor marca deste ano, e também o benfiquista Isaac Nader (3.45,19), que voltou a confirmar a qualificação para Europeus sub23; no peso, Marco Fortes (Sporting) foi o vencedor (18,30 m); enquanto no dardo, triunfo do espanhol Manuel Corral (65,94 m).

 

Nas provas femininas, esperava-se que o meio-fundo proporcionasse um bom espetáculo. Assim, nos 5000 m femininos, Florenci Borelli (Argentina), venceu em 15.55,90, com Salomé Rocha a atingir o terceiro lugar, com 15.57,97, à frente de Catarina Ribeiro (ambas do Sporting) que fechou em 16.04,49; e nos 1500 metros venceu a espanhola Maria Pia Fernandez (4.13,73), com a portuguesa Andreia Pingueiro (J. Vidigalense) a correr em 4.24,34 (confirmando, com melhor registo, a qualificação para os Europeus sub20).

 

Outra prova produtiva para os mais jovens foi a de 100 metros barreiras, com triunfo da júnior brasileira Micaela de Mello (13,63 s, v: +1,0 m/S), onde Mariana António (Sporting) correu em 13,97 (marca de qualificação para os Europeus sub23).

 

Nas restantes provas femininas, no triplo-salto, triunfo de Shaina Mags, do Sporting de Braga, com 13,44 metros (v: +1,1 m/s); no peso, vitória de Jessica Inchude (Sporting), com 17,23 metros; nos 100 metros, vitória da equatoriana Angela Tenorio (11,27, +0,5 m/s, recorde da pista), numa final em que a junior Delphine Nkansa (Benfica) correu em 11,88 segundos; a altura voltou a conhecer o triunfo de Anabela Neto (Sporting), com 1,77 m; no dardo venceu a brasileira Laila Ferrer e Silva (56,13, recorde da pista); e nos 400 metros a vencedora foi a sportinguista Dorothé Évora (54,44 s); finalmente, nota para o regresso de Vera Barbosa (Sporting), com um triunfo nos 400 m barreiras (57,65 segundos).

 

Resultados completos na página da Associação de Atletismo de Braga.